Veja como era viajar de avião nos anos 50, 60 e 70

Você consegue imaginar como era viajar de avião nas décadas de 1950, 1960, 1970? A rotina dos aeroportos e as aeronanes de hoje em nada lembram a era de ouro da aviação comercial.

Viajar de avião naquela época era um evento para poucos. Os preços das passagens eram caros em se comparando com os valores atuais.

1950sUnlimited/Flickr

Passageiros na Primeira Classe de Boeing-747 da Continental Airlines nos anos 70

Só para se ter uma ideia, na década de 50 os bilhetes chegavam a custar 40% ou mais do que pagamos hoje. Em 1955, uma passagem de ida e volta de Chicago a Phoenix (uma distância de cerca de 2.700 quilômetros) custava US$ 138, que, se consideramos a inflação neste período, equivale atualmente a US$ 1.168 (R$ 2.715).

Mas se os preços das passagens eram salgados, o serviço de bordo e o conforto das aeronaves não deixam nada a desejar. As empresas ofereciam uma série de mimos e pequenos luxos que praticamente não existem mais hoje em dia. A não ser que você viaje de primeira classe.

As aeronaves tinham mais espaço entre as poltronas e para bagagens de mão, proporcionando mais conforto durante a viagem.

Reprodução

Refeição servida no Boeing-707 da PAN AM nos anos 60

Refeições

Nas viagens de longa distância as empresas ofereciam refeições completas e bebidas como vinho e uísque. O jantar era servido em pratos de porcelana e o vinho, em taça de cristal. Os aviões de grande porte chegavam a contar com 15 comissários de bordo.

O serviço de borda da antiga Varig chegou a ser premiado como o melhor do mundo em 1979 pela revista americana “Air Transport World”.

Com informações dos sites FastCompanyTudo Interessante e do livro “Estrela brasileira”, de Claudia Vasconcelos (Editora KBR)

Advertisements

Cidades-sedes da Copa têm hospedagens alternativas para turistas

Estimativa é parte significativa dos visitantes faça a opção meios alternativos de hospedagem

As hospedagens alternativas sempre agradaram os turistas estrangeiros que visitam o Brasil. Dos 5,67 milhões que estiveram no país em 2012, mais de 44% escolheram esse tipo de acomodação durante sua estada.

Os albergues e camping (4,9%) abrigaram 278,1 mil estrangeiros, as casas alugadas (11,9%) outros 675,4 mil e as casas de amigos e parentes (27,9%) mais 1,58 milhões de visitantes.

Divulgação/MTur

A Copa do Mundo deve atrair cerca de 600 mil turistas estrangeiros para o país. Três milhões de brasileiros também deverão viajar dentro do Brasil, segundo o MTur (Ministério do Turismo).

Estimativa do MTut é que a procura por hospedagens alternativas cresce ainda mais.  Segundo pesquisa do IBGE, a oferta deste tipo de acomodação aumentou nas cidades-sede do evento. São 3.491 leitos em pensões, 3.804 albergues, 22.478 leitos em imóveis para aluguel e 29.940 em motéis.

Para ajudar o turista estrangeiro que vem ao país, o MTur criou um site para divulgar opções de hospedagens alternativas em capitais como São Paulo (SP), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA).

Conheça os trajetos das trilhas da Floresta da Tijuca em vídeos

Alexandre Macieira Riotur

Série trará nove trajetos de trilhas na Floresta da Tijuca

O projeto “Trilhas no Rio” lança vídeos semanalmente, toda terça-feira, com dicas sobre as trilhas da Floresta da Tijuca. O grupo relata as facilidades e obstáculos dos trajetos em uma websérie dividida em nove episódios.

“A ideia surgiu de conversas com amigos que viam  fotos das trilhas que fazíamos e nos pediam dicas”, conta André Dalacerda, que toca o projeto ao lado de Diogo Fagundes. O objetivo é   mostrar os percursos das principais trilhas da Floresta da Tijuca e área urbana do Rio de Janeiro. “A ideia é incentivar as pessoas a desbravarem as trilhas, e descobrirem as belezas das paisagens”, diz André.

Os vídeos, gravados nas duas últimas semanas de janeiro deste ano, trazem ainda o tempo do percurso. Os três episódios já lançados contam com os trajetos das trilhas do Corcovado; Pedra Bonita e Agulhinha e Catacumba.

Os próximos capítulos do “Trilhas do Rio” trarão os trajetos das trilhas do morro da urca;  Cachoeiras do Horto; trilha das grutas; Pedra das Gávea e das montanhas da tijuca que englobam Bico do Papagaio, Cocanha, Pico da Tijuca e Tijuca Mirim.  Na próxima temporada, a websérie irá mapear as trilhas da Zona Oeste.

Confira o primeiro vídeo que traz dicas sobre a trilha do Corcovado:

Nômades Digitais: site te ajuda a jogar tudo pro alto e viver do que você gosta, onde desejar; saiba como

O objetivo é provar que é possível trabalhar viajando e viajar trabalhando

Seguir os seus sonhos, jogar tudo para o alto, trabalhar com o que quiser, de onde quiser. Essa é a proposta ousada do casal Emerson Viegas e Jaqueline Barbosa com o site Nômades Digitais.

Divulgação

Jaqueline Barbosa trabalhando por aí

Criadora também do Hypeness e doCasal sem Vergonha, dessa vez a dupla – que já havia mudado seu escritório e casa de São Paulo para Ilhabela – resolveu radicalizar e viajou o mundo para provar que na era da internet, é possível trabalhar de qualquer lugar.

A ideia é ajudar insatisfeitos de plantão a descobrir novas possibilidades e a criar coragem para abrir mão do certo, pelo duvidoso, a lembrar de sonhos antigos e acreditar que nunca é tarde para recomeçar.

No site é possível encontrar, aplicativos, artigos de psicanalistas, exemplos inspiradores, dicas de viagem e diversos textos para ajudar as pessoas a se livrarem das amarras do que eles chamam de “zona de conforto” e que muitas vezes nem é tão confortável assim.

A viagem do casal ao redor do mundo pode ser acompanha na web série, também publicada no site.

Conheça as praias de nudismo do Brasil

O site Skyscanner listou as oito praias naturistas oficiais no país

Santa Catarina abriga três das oito praias onde a prática do nudismo é liberada no Brasil. As outras ficam no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia e Paraíba.

Nelas os naturistas têm a chance única de se aproximar da natureza e se despir por inteiro, deixando de lado não apenas as roupas, mas também todos juízos de valor que permeiam a sociedade.

Sem moda, padrões de beleza e, principalmente, sem conotação sexual, os naturistas seguem um estilo de vida diferente, priorizando o respeito à natureza, bem como às pessoas ao redor. Prova disso é o fato de existirem regras e condutas bem específicas nestas praias, fazendo com o que a harmonia e o respeito sejam os principais fatores a comandar um belo dia de sol.

Divulgação/Portal Brasil Naturista

Outro detalhe importante é que as praias oficiais são registradas e filiadas à FBrN(Federação Brasileira de Naturismo), o que garante a seriedade e integridade destes lugares.

Vale lembrar ainda que o naturismo pode ser considerado uma filosofia de vida, com preceitos bem definidos. De acordo com a FBrN, “naturismo é um modo de vida em harmonia com a natureza, caracterizado pela prática da nudez social, que tem por intenção encorajar o auto respeito, o respeito pelo próximo e o cuidado com o meio ambiente”.

Mesmo com conceitos e regras bem definidas, nada impede que os não adeptos da filosofia frequentem as praias naturistas. Ao contrário, todos são convidados a tentar viver este estilo de vida.

O site Skyscanner, buscador de passagens aéreas, listou as oito praias naturistas oficiais no país. Confira abaixo:

 

PRAIA DO PINHO (CAMBORIÚ – SANTA CATARINA)

Divulgação/Portal Brasil Naturista

A mais tradicional entre as praias naturistas, é a primeira praia oficial do gênero no país. Por isso mesmo, é a mais conhecida entre os adeptos naturistas e os que pretendem conhecer este estilo de vida. Para receber a todos, sua infraestrutura é completa, com pousada, camping, bar à beira mar, banheiros e chuveiro.

 

GALHETA (FLORIANÓPOLIS – SANTA CATARINA)

 Edgley Cesar/Wikimedia Commons

Indicada para os mais tímidos, em Galheta o nudismo é opcional, sendo possível caminhar pela praia com roupas de banho. O acesso é feito por uma trilha de com quase 400 metros de extensão, a qual deve ser percorrida a pé. Fica ao lado da Praia do Mole.

 

PRAIA DE PEDRAS ALTAS (PALHOÇA – SANTA CATARINA)

 Divulgação/Portal Brasil Naturista

Seu público segue um estilo mais alternativo e, por isso, o clima de aldeia hippie toma conta do lugar. De mar calmo, suas águas são indicadas para banho e esportes aquáticos. Para chegar até lá, é preciso seguir pela BR-101 e enfrentar 6 km de estrada sem asfalto.

 

TAMBABA (CONDE – PARAÍBA)

Divulgação/Portal Brasil Naturista

Há cerca de uma hora da capital paraibana, Tambaba é a praia nudista que mais atrai estrangeiros. Tanto é que, em 2008, foi sede do 310º Congresso Internacional de Naturismo. Sua beleza natural é capaz de impressionar qualquer pessoa e, além disso, o lugar conta com boa infraestrutura, com pousada e restaurante à beira-mar.

 

MASSARANDUPIÓ (ENTRE RIOS – BAHIA)

Casal Naturista/Flickr

 

O cenário pintado por coqueiros que cercam a areia faz com que Massarandupió seja uma das praias naturistas mais bonitas do país. Com água quente e cristalina, colocando diferentes peixinhos à mostra, o lugar tem ainda pequenos riachos paralelos de água doce. Próximo à Praia do Forte, o acesso é feito por uma estrada de areia, com 7 quilômetros de extensão.

 

BARRA SECA (PONTAL DO IPIRANGA – ESPÍRITO SANTO)

Divulgação/Portal Brasil Naturista

Localizada exatamente no município de Pontal do Ipiranga, a 50 km de Linhares, sua paisagem é formada com a junção do mar com um rio que ali deságua. Para chegar até a praia, é preciso atravessar o rio de barco ou canoa. A travessia é organizada pela NatEs (associação naturista do Estado). Entre praia, rio e dunas, formam-se pequenas piscinas naturais.

 

PRAIA DO ABRICÓ (RIO DE JANEIRO – RJ)

 Mar legal Turismo Nautico/Flickr

 

Única praia nudista dentro de um centro urbano no país, Abricó fica na região da Reserva de Grumari, ao lado da Prainha. É uma das mais democráticas, pois aceita a entrada de solteiros, o que não acontece em outras praias que permitem apenas o acesso a casais.

 

OLHO DE BOI (BÚZIOS – RIO DE JANEIRO)

Divulgação/Skyscanner

Com aspecto selvagem, esta praia é totalmente deserta, sem a presença de estabelecimentos comerciais. Quem pretende passar o dia por lá deve se precaver com sua própria comida e bebida. Bem pequena, com no máximo 100 metros de extensão, o acesso é feito por uma trilha de 600 metros, que inclui a passagem por um morro.

Estas são as praias oficiais, onde o nudismo é liberado. Para curtir essas paisagens e não fazer feio, confira o código de ética e outras informações no site Federação Brasileira de Naturismo.

Hotéis em Veneza

Escrever um post falando sobre hospedagem em Veneza é tarefa dificílima. É uma cidade bem cara, e procurar o hotel no mapa é uma das coisas mais complicadas e frustrantes que existem! No momento que você busca no Google Maps até parece simples de encontrar, mas assim que você desembarca na cidade vê que não há mapinha que decifre os becos, pontes e canais venezianos.

Bom, pra deixar o post mais completo, contei com a ajuda de duas amigas que foram pra lá também há pouco tempo. Cada uma de nós ficou em lugares totalmente diferentes – nos quesitos localização e preço.

Vou começar pela minha escolha, um hotel fora de Veneza. Pois é, nas duas vezes que estive lá fiquei no mesmo hotel, na cidade de Mestre, a última do continente antes de Veneza. Confira no mapa: elas estão muito próximas e é facílimo ir e voltar de Mestre. Ainda mais no hotel que fiquei, localizado, literalmente, do outro lado da rua da estação de trem Mestre-Venezia. Dessa estação, os trens são frequentes (de 10 em 10 minutos) para Venezia Santa Lucia, a estação de trem de Veneza. O percurso dura também 10 minutos e o ticket custa €1. Há também a opcão de ir de ônibus, que é praticamente o mesmo preço (€1.10) e leva quase o mesmo tempo. Atravessar o canal pra chegar em Veneza é uma experiência bem interessante, você se dá conta da proporção água x terra e começa a imaginar como é que a cidade foi contruída. Meio doido!

Sobre o hotel: meu escolhido foi o Tritone, mas tem vários outros nas redondezas, e pelo preço que você paga lá (ele é considerado 4 estrelas – apesar de eu achar que está um pouco abaixo disso, explico mais pra frente), você vai ter muita, mas muita dificuldade de achar um lugarzinho bacana em Veneza. Da primeira vez que fui, em outubro de 2011, paguei €98 (cerca de R$300,00) a diária pra uma pessoa, reservado com alguns meses de antecedência. Dessa última vez, em setembro de 2012, fiz a reserva com menos de 1 mês de antecedência, para 2 pessoas, e a diária ficou em pouco mais de €100 – cerca de R$320,00 (não consigo encontrar o valor exato que paguei!)

O hotel no geral é bom, mas precisa de um tapa. Tá tudo um pouquinho largado, e notei a diferença de 2011 pra 2012 – pintura que vai se desgastando e alguns cantinhos do banheiro já meio pretos, sabem? Não é grave, o quarto é confortável, mas poderia melhorar. Em compensação, o wifri é gratuito em todo o hotel e nas duas vezes que fui o café da manhã, bem decente, estava incluso. Outro ponto a favor foi o atendimento dos funcionários, muito prestativos e te explicam direitinho como chegar a Veneza, te dão inclusive várias opções, marcam até em um mapa. E claro, já falei sobre a localização. Pra ir do aeroporto até lá, a maneira mais fácil é pegar um dos ônibus da ATVO, que ficam logo na saída em frente ao desembarque. Cada um dos pontos tem ótima sinalização falando pra onde o respectivo ônibus sai – você vai entrar no que vai para Mestre FS e em  20 minutos estará lá – vá até o ponto final, que fica na rua do hotel (preço do ônibus: €6 para uma perna ou €11 ida e volta)

Algumas fotos retiradas do site deles (esqueci de fotografar…) – escolhi as images que achei mais fiéis a realidade.

hotel tritone veneza

hotel tritone veneza

hotel tritone veneza

Clique para reservar esse hotel pelo booking.com

Clique para ver mais hotéis em Mestre, e hotéis próximos a estação de trem de Mestre

***

A segunda opção é pra lá de luxuosa: o Hotel Danieli, que serviu de locação para o filme “O Turista” e até virou atração turística por causa disso (o que não faz Angelina Jolie…). Quem ficou lá foi uma grande amiga minha, e ela disse que escolheu ficar lá pois ir pra Veneza com a mãe dela era um sonho, e queria se hospedar em um lugar muito especial.  Ela amou! Bom, também não tem como não gostar né? A localização é excelente, logo ao lado da Ponte dos Suspiros e a uma pontezinha de distância da Piazza San Marco. Olha a vista que ela tinha no café da manhã:

veneza hotel danieli

danieli (3)

Eu fiz uma simulação pra ter ideia de preço – uma noite em março para duas pessoas está em torno de R$830,00. É um hotel de luxo afinal, e Veneza já é cara por si só.

Mais algumas fotos:

danieli (9)

danieli (15)

danieli (14)

danieli (1)

 

Algumas coisas que pesam contra: wifi gratuito é disponível apenas nas áreas comuns. Quem quiser no quarto tem que pagar €30 por dia. Ah, e o café da manhã (no caso dela estava incluso) custa €60.

Pra chegar lá, você pode ou pegar o Vaporetto saindo em frente da estação Venezia Santa Lucia em direção a Piazza San Marco, e chegando lá ir caminhando até o hotel, ou então você pode chegar em grande estilo, reservando um transfer particular de barco, serviço oferecido pelo hotel mas que é claro, custa caro.  Do aeroporto Marco Polo até lá, para duas pessoas, o transfer custa 195 euros.

Clique para reservar esse hotel pelo booking.com

***

A terceira opção é um meio termo entre os dois anteriores, o Ca’ Nigra Lagoon Resort, que fica próximo a estação Venezia Santa Lucia. A minha amiga que se hospedou lá com o marido para aproveitar um fim de semana disse que adorou a escolha e assim que entrou no quarto e viu que era bacana tirou um monte de fotos pra eu colocar aqui (posso com amigas maravilhosas assim gente? <3)!

O quarto e banheiro são espaçosos e bem decorados, sem ostentação. O wifi é livre em todas as áreas (dancinha da felicidade) e há um café da manhã simples incluso: variedade de suco de frutas, pães, geléias e nutella. Pra quem quiser algo mais caprichado, com frios e ovos por exemplo, precisa pagar um extra.

Outro ponto a favor é a vista para o Canal Grande, e também os jardins.

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

Fiz uma simulação de reserva para abril de 2013, a diária para o casal sai a partir de 270 euros.

Como disse antes, ele é bem localizado, um daqueles raros hotéis que sim, você consegue achar chegando lá sozinho! Saindo da estação Santa Lucia, como o Canal Grande a sua frente, vire a esquerda e cruze a primeira ponte (Ponte Dei Scalzi), e assim que puder vire a primeira esquerda e atravesse um pequeno canal. Vire a primeira esquerda novamente e pronto!

Clique para reservar esse hotel pelo booking.com