Trilhas revelam belezas naturais e história de Ilha Grande

Localizada em Angra dos Reis, no litoral sul do Rio de Janeiro, Ilha Grande, com sua beleza natural, se tornou um centro turístico internacional. Em um trajeto de balsa de aproximadamente 90 minutos do continente até a ilha, turistas vem e vão o ano todo, em busca de contato com a natureza e também de explorar um pedaço importante da história brasileira, em específico do sistema prisional brasileiro.

Divulgação

Divulgação
Lagoa Azul é um dos pontos mais visitados em Ilha Grande
Da história carcerária que se passou na ilha, hoje praticamente só restaram algumas ruínas, mas trilhas superinteressantes, em meio à Mata Atlântica podem te levar a viajar um pouco nessa história.

Circuito do Abraão
Esta é considerada uma trilha leve. Dura entre uma e duas horas e é a trilha que explora o Aqueduto e as ruínas do Lazareto, instituição utilizada como centro de triagem e de quarentena de enfermos que chegavam de navio na época do “Brasil Império”. Outras paradas no trajeto também são de tirar o fôlego como a Praia Preta, praia de areia fina de cor preta.

Trilha Abraão – Dois Rios
Esta é considerada uma trilha mais pesada, tem duração média de 3 horas. Este trajeto inclui a Capela de Nossa Senhora do Bom Despacho e o museu do Cárcere que foi instalado nas ruínas do antigo Instituto Penal Cândido Mendes, presídio que serviu de cárcere para presos políticos durante a ditadura militar e presos comuns.

Ilha Grande tem inúmeras outras trilhas, com diferentes graus de dificuldade. É importante certificar-se qual o grau que estará exposto e a eventual necessidade de um guia.

Ao embarcar nessa aventura não se esqueça de colocar na sua mochila os itens que precisa para exploração das trilhas tais como, um tênis confortável (de preferência a prova d’água), repelente, protetor solar, capa de chuva, etc. Se você for do tipo esquecido, o aplicativo uPackingList pode te ajudar a fazer um check-list para fazer sua mala. O app é gratuito e está disponível nos sistemas operacionais iOS e Android, em inglês.

O site Detecta Hotel conta com mais de 100 opções de acomodações em Ilha Grande. Confira abaixo cinco pousadas bem avaliadas por seus usuários.

Pousada Aratinga Inn

Divulgação

Casa Bonita Hospedagem & Café

Divulgação

Asalem

Divulgaçao

Pousada Naturalia

Divulgação

Pousada Tagomago

Divulgação

Outra importante dica: na Ilha Grande não tem caixa eletrônico ou agência bancária. A maioria dos lugares aceita cartão de crédito ou débito, mas esqueça saques.

Advertisements

Site ajuda a encontrar hospedagem de graça ao redor do mundo

O Worldpackers faz a ponte entre os hostels que têm ‘vagas’ disponíveis para trabalho voluntário e o viajante

Viajar é a melhor coisa do mundo. Mas conhecer novos países e outras culturas requer um pouco de dinheiro. Foi pensando nisso que dois amigos criaram um projeto que possibilita que viajantes consigam hospedagem de graça em qualquer lugar do mundo em troca de algumas horas de trabalho.

Worldpackers faz a ponte entre os hostels que têm ‘vagas’ disponíveis para trabalho voluntário e o viajante.  São diversas opções que vão de DJ a barman, de pintor a recepcionista, entre outros.

Reprodução

Para o “mochileiro” é extremamente vantajoso já que ele tem uma cama garantida, conhece pessoas do mundo inteiro, pratica e aprende idiomas, conhece outras culturas, pode receber refeições gratuitas e ainda desfruta de toda a atmosfera do hostel.

O  hostel também sai ganhando, pois garante um staff motivado, internacionalização de seu espaço e economiza recursos.

Atualmente o site, em inglês, tem mais de 1.000 voluntários e 190 hostels cadastrados espalhados por 70 países, como China, Filipinas, Portugal, Índia, Dinamarca, Estados Unidos, Nova Zelândia, África do Sul, entre outros.

Reprodução/Youtube

A meta é lançar versões do site em português, espanhol, francês e alemão e atingir 1.000 hostels ainda este ano, segundo Riq Lima, um dos fundadores do site, que largou um emprego estável em um banco em São Paulo para conhecer o mundo há cerca de três anos.

Eric Faria, o outro fundador do site, também tem uma história parecida com a do amigo. Ele largou o emprego de auditor em São Paulo para morar na Califórnia.

Os dois se conheceram no hostel que Eric era gerente. “Decidimos unir meu conhecimento de viagens pelo mundo com o conhecimento dele de voluntários e montamos a plataforma”, diz Riq.

Hotel no México conta com ‘departamento de romance’ para hóspedes apaixonados

Mensagem na garrafa, jantar na praia e passeio de carruagem são alguns dos mimos oferecidos pelo Las Ventanas al Paraíso, em Los Cabos

O título pode parecer armadilha de algum marqueteiro da hotelaria, mas basta pisar os pés no Las Ventanas al Paraíso, em Los Cabos, no México, para o hóspede se dar conta de que o amor está no ar.

Divulgação/Las Ventanas al Paraíso, em Los Cabos

A paixão é tão presente neste estabelecimento da Baixa Califórnia que existe até um Departamento de Romance. Sim, uma equipe que se dedica, exclusivamente, a cuidar das experiências que inspiram viajantes hospedados no local, considerado único em todo o mundo.

Conheça alguns dos serviços disponíveis para os apaixonados:

Mensagem na garrafa – O hotel faz a impressão de uma carta de amor ou de um poema em um pergaminho e a deixa no interior de uma garrafa “esquecida” pelo caminho do casal, durante um passeio pela praia. Valor: US$ 25

Piquenique na praia – O casal recebe no quarto uma cesta de piquenique com vinho, queijos e doces para uma caminhada, a sós, para observação do pôr do sol. O serviço pode ser substituído também por almoço na praia. Valor: US$ 50

Aula de culinária (para eles) – O exclusivo serviço ‘Homens de Branco’ acontece em uma cozinha ao ar livre, onde o hóspede aprende com um chefe local a preparar um jantar gourmet para a amada. Valor:  US$150 (aula) e US$95 por pessoa (jantar).

Aula de tequila para dois – Nesta aula de degustação, o casal aprende sobre a história da bebida mais popular do México, seu processo de destilação e as formas adequadas para beber, com provas de tequila incluídas, obviamente. Valor: US$210

Divulgação/Las Ventanas al Paraíso, em Los Cabos

Jantar na praia – Uma mesa para dois decorada com velas e tochas, em plena areia fina da praia de Los Cabos, é um dos serviços exclusivos do hotel, cujo serviço também pode ser oferecido na plaza localizada no interior do hotel, ao lado da piscina. Valor: US$230

Cinema na praia – Para dar uma esticada no jantar, o hotel conta com um serviço conhecido como Cinema al Paraíso. Essa espécie de cinema particular na areia oferece uma TV de plasma de 50 polegadas e sistema de home theater, espumante, aperitivos e poltronas para os pombinhos. Valor: US$290 por casal

Anel de noivado trazido a cavalo – Este serviço é para nenhuma pretendente recusar o pedido de casamento. Durante o jantar na praia, um cavaleiro aproxima-se montado em um corcel mexicano e entrega a aliança para a noiva. Valor: US$390 por hora

Las Ventanas al Paraíso, em Los Cabos

Passeio de carruagem no deserto – Neste passeio, o casal faz um tour no deserto a bordo de uma carruagem puxada por cavalos clássicos do México e com espumantes à disposição. Valor: US$390 por hora.

Los Cabos

Banhada pelo Pacífico e pelo Mar de Cortés, a península da Baixa Califórnia, no México, é uma área semidesértica do país com quase 365 dias de sol por ano.

Divulgação/Visit Mexico

O destino é formado por duas cidades principais:  Cabo San Lucas, endereço agitado com o melhor da vida noturna local e saída dos barcos de passeios; e San José del Cabo, a versão colonial da região. Ambas estão conectadas por um corredor de 29 km de extensão que cruza praias selvagens, vales e resorts de luxo.

Cidades-sedes da Copa têm hospedagens alternativas para turistas

Estimativa é parte significativa dos visitantes faça a opção meios alternativos de hospedagem

As hospedagens alternativas sempre agradaram os turistas estrangeiros que visitam o Brasil. Dos 5,67 milhões que estiveram no país em 2012, mais de 44% escolheram esse tipo de acomodação durante sua estada.

Os albergues e camping (4,9%) abrigaram 278,1 mil estrangeiros, as casas alugadas (11,9%) outros 675,4 mil e as casas de amigos e parentes (27,9%) mais 1,58 milhões de visitantes.

Divulgação/MTur

A Copa do Mundo deve atrair cerca de 600 mil turistas estrangeiros para o país. Três milhões de brasileiros também deverão viajar dentro do Brasil, segundo o MTur (Ministério do Turismo).

Estimativa do MTut é que a procura por hospedagens alternativas cresce ainda mais.  Segundo pesquisa do IBGE, a oferta deste tipo de acomodação aumentou nas cidades-sede do evento. São 3.491 leitos em pensões, 3.804 albergues, 22.478 leitos em imóveis para aluguel e 29.940 em motéis.

Para ajudar o turista estrangeiro que vem ao país, o MTur criou um site para divulgar opções de hospedagens alternativas em capitais como São Paulo (SP), Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA).

Hotéis em Veneza

Escrever um post falando sobre hospedagem em Veneza é tarefa dificílima. É uma cidade bem cara, e procurar o hotel no mapa é uma das coisas mais complicadas e frustrantes que existem! No momento que você busca no Google Maps até parece simples de encontrar, mas assim que você desembarca na cidade vê que não há mapinha que decifre os becos, pontes e canais venezianos.

Bom, pra deixar o post mais completo, contei com a ajuda de duas amigas que foram pra lá também há pouco tempo. Cada uma de nós ficou em lugares totalmente diferentes – nos quesitos localização e preço.

Vou começar pela minha escolha, um hotel fora de Veneza. Pois é, nas duas vezes que estive lá fiquei no mesmo hotel, na cidade de Mestre, a última do continente antes de Veneza. Confira no mapa: elas estão muito próximas e é facílimo ir e voltar de Mestre. Ainda mais no hotel que fiquei, localizado, literalmente, do outro lado da rua da estação de trem Mestre-Venezia. Dessa estação, os trens são frequentes (de 10 em 10 minutos) para Venezia Santa Lucia, a estação de trem de Veneza. O percurso dura também 10 minutos e o ticket custa €1. Há também a opcão de ir de ônibus, que é praticamente o mesmo preço (€1.10) e leva quase o mesmo tempo. Atravessar o canal pra chegar em Veneza é uma experiência bem interessante, você se dá conta da proporção água x terra e começa a imaginar como é que a cidade foi contruída. Meio doido!

Sobre o hotel: meu escolhido foi o Tritone, mas tem vários outros nas redondezas, e pelo preço que você paga lá (ele é considerado 4 estrelas – apesar de eu achar que está um pouco abaixo disso, explico mais pra frente), você vai ter muita, mas muita dificuldade de achar um lugarzinho bacana em Veneza. Da primeira vez que fui, em outubro de 2011, paguei €98 (cerca de R$300,00) a diária pra uma pessoa, reservado com alguns meses de antecedência. Dessa última vez, em setembro de 2012, fiz a reserva com menos de 1 mês de antecedência, para 2 pessoas, e a diária ficou em pouco mais de €100 – cerca de R$320,00 (não consigo encontrar o valor exato que paguei!)

O hotel no geral é bom, mas precisa de um tapa. Tá tudo um pouquinho largado, e notei a diferença de 2011 pra 2012 – pintura que vai se desgastando e alguns cantinhos do banheiro já meio pretos, sabem? Não é grave, o quarto é confortável, mas poderia melhorar. Em compensação, o wifri é gratuito em todo o hotel e nas duas vezes que fui o café da manhã, bem decente, estava incluso. Outro ponto a favor foi o atendimento dos funcionários, muito prestativos e te explicam direitinho como chegar a Veneza, te dão inclusive várias opções, marcam até em um mapa. E claro, já falei sobre a localização. Pra ir do aeroporto até lá, a maneira mais fácil é pegar um dos ônibus da ATVO, que ficam logo na saída em frente ao desembarque. Cada um dos pontos tem ótima sinalização falando pra onde o respectivo ônibus sai – você vai entrar no que vai para Mestre FS e em  20 minutos estará lá – vá até o ponto final, que fica na rua do hotel (preço do ônibus: €6 para uma perna ou €11 ida e volta)

Algumas fotos retiradas do site deles (esqueci de fotografar…) – escolhi as images que achei mais fiéis a realidade.

hotel tritone veneza

hotel tritone veneza

hotel tritone veneza

Clique para reservar esse hotel pelo booking.com

Clique para ver mais hotéis em Mestre, e hotéis próximos a estação de trem de Mestre

***

A segunda opção é pra lá de luxuosa: o Hotel Danieli, que serviu de locação para o filme “O Turista” e até virou atração turística por causa disso (o que não faz Angelina Jolie…). Quem ficou lá foi uma grande amiga minha, e ela disse que escolheu ficar lá pois ir pra Veneza com a mãe dela era um sonho, e queria se hospedar em um lugar muito especial.  Ela amou! Bom, também não tem como não gostar né? A localização é excelente, logo ao lado da Ponte dos Suspiros e a uma pontezinha de distância da Piazza San Marco. Olha a vista que ela tinha no café da manhã:

veneza hotel danieli

danieli (3)

Eu fiz uma simulação pra ter ideia de preço – uma noite em março para duas pessoas está em torno de R$830,00. É um hotel de luxo afinal, e Veneza já é cara por si só.

Mais algumas fotos:

danieli (9)

danieli (15)

danieli (14)

danieli (1)

 

Algumas coisas que pesam contra: wifi gratuito é disponível apenas nas áreas comuns. Quem quiser no quarto tem que pagar €30 por dia. Ah, e o café da manhã (no caso dela estava incluso) custa €60.

Pra chegar lá, você pode ou pegar o Vaporetto saindo em frente da estação Venezia Santa Lucia em direção a Piazza San Marco, e chegando lá ir caminhando até o hotel, ou então você pode chegar em grande estilo, reservando um transfer particular de barco, serviço oferecido pelo hotel mas que é claro, custa caro.  Do aeroporto Marco Polo até lá, para duas pessoas, o transfer custa 195 euros.

Clique para reservar esse hotel pelo booking.com

***

A terceira opção é um meio termo entre os dois anteriores, o Ca’ Nigra Lagoon Resort, que fica próximo a estação Venezia Santa Lucia. A minha amiga que se hospedou lá com o marido para aproveitar um fim de semana disse que adorou a escolha e assim que entrou no quarto e viu que era bacana tirou um monte de fotos pra eu colocar aqui (posso com amigas maravilhosas assim gente? <3)!

O quarto e banheiro são espaçosos e bem decorados, sem ostentação. O wifi é livre em todas as áreas (dancinha da felicidade) e há um café da manhã simples incluso: variedade de suco de frutas, pães, geléias e nutella. Pra quem quiser algo mais caprichado, com frios e ovos por exemplo, precisa pagar um extra.

Outro ponto a favor é a vista para o Canal Grande, e também os jardins.

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

hotel ca nigra veneza

Fiz uma simulação de reserva para abril de 2013, a diária para o casal sai a partir de 270 euros.

Como disse antes, ele é bem localizado, um daqueles raros hotéis que sim, você consegue achar chegando lá sozinho! Saindo da estação Santa Lucia, como o Canal Grande a sua frente, vire a esquerda e cruze a primeira ponte (Ponte Dei Scalzi), e assim que puder vire a primeira esquerda e atravesse um pequeno canal. Vire a primeira esquerda novamente e pronto!

Clique para reservar esse hotel pelo booking.com

Turismo bom pra cachorro (e para outros pets também)

abre
por: Eduardo Vessoni
foto: Turismo 4 Patas/Divulgação

Tem viajante que quando sai de casa leva tudo. Lota a mala com todas as opções de roupas; não se esquece de incluir uns dois ou três livros na mochila; e ainda carrega todos os cremes e variedades de shampoos.

E tem aqueles que, solitários ou acompanhados, ainda guardam um espaço no carro para levar pequenas (e preciosas) companhias extras: seus bichos de estimação.

Pensando nos viajantes que não abrem mão de levar o cachorro para cair na estrada (ou o gato, o papagaio, o peixinho dourado e a cacatua), o Viagem em Pauta selecionou alguns hotéis que aceitam a bicharada como hóspede.

A lista, uma sugestão feita pelo site Turismo 4 Patas, inclui hospedagens onde os pets podem permanecer com os donos nos quartos e mimos para os animais como toalhas e brinquedos. Considerado o primeiro guia on-line brasileiro com o conteúdo especializado voltado para animais de estimação, o site possui um ranking de avaliações dos estabelecimentos hoteleiros de acordo com os serviços oferecidos para a bicharada.

Nos itens avaliados estão serviços como kit boas vindas, indicação de veterinário, medicação para primeiros socorros e até opção de espaço para  refeições com os donos.

Conheça os hotéis

Ronco do Bugio (Piedade)
Animais domesticados são bem vindos nos quartos de seus donos e recebem um Kit Dog Hospedagem que inclui toalha, manta e porta-raçãoLocalizada em uma área de doze alqueires de Mata Atlântica, essa pousada boutique conta com espaços terapêuticos, sauna e trilhas ecológicas. Animais hospedados pagam tarifa especial.
www.roncodobugio.com.br

turismo canino

(foto: Divulgação)

Stream Palace Hotel (Ribeirão Preto)
O hotel possui um andar inteiro exclusivo para hóspedes acompanhados de seus pets. Desde dezembro de 2013, o estabelecimento permite o acesso de até dois animais por apartamento como pássaros, peixes, cachorros e gatos de pequeno porte. A taxa extra de hospedagem (R$ 30,00 por animal) inclui um kit com tigelas para comida, tapete higiênico e um mimo especial para o animal de estimação.
www.streampalacehotel.com.br

Unique Garden Hotel & Spa (Mairiporã)
Localizado em Mairiporã, este hotel aceita animais a partir de seis meses de idade e conta com espaços especiais como playground (para os pets, claro), e um kit com comedouro, bebedouro, cama e brinquedos.
Cobra taxa extra.
www.uniquegarden.com.br

Turismo canino

(foto: Divulgação)

Pousada Encanto da Bocaina (São José do Barreiro)
Kit boas-vindas com biscoitos naturais para animais são algumas das opções desse hotel a 900 metros de altitude próximo ao Parque Nacional Serra da Bocaina. Localizado a 7,5 km de São José do Barreiro, o estabelecimento conta com três chalés.
www.encantodabocaina.com.br

Pousada Bicho Preguiça (Peruíbe)
Situada na praia de Guaraú, no litoral sul de São Paulo, esta pousada aceita animais no quarto do hóspede, porém com acesso restrito à piscina e ao restaurante. Há taxa extra para hospedar animais, com limite de dois pets por quarto.
www.pousadabichopreguica.com.br

turismo canino

All Inclusive Esttalagem Hotel Fazenda (Serra Negra)
Animais de pequeno porte são aceitos nesse hotel all incluisve localizado em Serra, estância hidromineral do interior de São Paulo. A taxa extra cobrada inclui as despesas de higienização e desinfecção da acomodação, empréstimo de cama, colchão e edredom próprios para animais de pequeno porte; e dois tapetes higiênicos por dia acompanhados de saquinho para as fezes dos bichinhos.
www.hotelfazendaallinclusive.com.br

Turismo caninoApart Hotel Paradise Chalés (Caraguatatuba)
Localizado a menos de 500 metros da Praia do Indaiá, este hotel do litoral norte de São Paulo conta com 26 apartamentos instalados em chalés de 60 m² equipados com cozinha e acomodação para até seis pessoas. O estabelecimento aceita apenas animais de pequeno porte.
www.pousadaparadise.com.br

 

turismo caninoDICAS PARA VIAJAR COM ANIMAIS
– Para animais pouco comportados ou de humor nada amigável, considere frequentar algumas aulas de obediência básica;

– Para animais de primeira viagem, prefira deslocamentos curtos de um final de semana;

– Faça o transporte do animal em uma caixa resistente e ventilada, com espaço suficiente para que o mascote possa dar uma volta de 360 graus, mas não exagere no tamanho para não machucá-lo no caso de movimentos bruscos;

– Procure viajar em horários mais tranquilos, evitando o trânsito ou as altas temperaturas;

– Faça paradas a cada 2 horas para que o bichinho possa exercitar-se e fazer as necessidades;

– Para quem viaja de avião, consulte as regras de cada companhia aérea para verificar normas e tarifas específicas para transporte de animais;

– Uma vez instalados, os hóspedes acompanhados de pets devem conhecer as restrições e políticas estabelecidas por cada hotel, e manter-se sempre atento a seus movimentos;

– Independente dos mimos oferecidos pelos hotéis, procure incluir na mala itens como kit de primeiros socorros, medicamentos, certificado de vacinação, itens para higiene, tapete higiênico ou jornal, proteção contra pulgas e carrapatos, guia e coleira, reservatórios para água e comida, ração em quantidade suficiente para toda a viagem, brinquedos preferidos, ossinhos e caminha.
(fonte: site Turismo 4 Patas)

Superagui, um pedaço ainda intocado no litoral do Paraná

A ilha desconhecida do litoral norte do Paraná ainda não ganhou o mundo do turismo de massa

Barcos deslizam sobre o mar de águas calmas que abrem caminho entre canais de margens largas; as ruas estreitas do vilarejo rústico ainda são de areia, a mesma que avança sobre quilômetros de praias selvagens; e as construções de madeira pintada em tons coloridos recortam o verde preservado do parque.

Pescadores lançam redes ao vento e, na praça central, entre árvores e bancos talhados em troncos, um vai e vem descompromissado de moradores que ainda resistem naquelas terras isoladas. Na casa de esquina, o passo duplo e arrastado do fandango dá o ritmo às noites mal iluminadas pelas varandas vizinhas.

Fotos: Eduardo Vessoni/Viagem em Pauta

Por do sol na praia de Superagui, ilha no litoral norte do Paraná

E é só isso o que temos para dizer sobre Superagui, a ilha desconhecida do litoral norte do Paraná que ainda não ganhou o mundo do turismo de massa.

Super… o que? Esta foi a pergunta que mais ouvi quando anunciei entre amigos que passaria o final do ano em Superagui.

Localizado no município de Guaraqueçaba, este vilarejo rústico é considerado Patrimônio Natural pela Unesco e faz parte do parque nacional de mesmo nome, uma área com quase 34 mil hectares que protege uma fauna local formada por aves marinhas da praia Deserta, mico-leão-da-cara-preta e papagaio-da-cara-roxa.

Formada por uma geografia variada de Mata Atlântica, restingas, manguezais e praias, Superagui é o local onde o mar encontra o rio e forasteiros são recebidos na versão mais desconhecida da região.

Passeio de bicicleta em Superagui, ilha quase intocada no litoral do Paraná

Passeio de bicicleta em Superagui, ilha quase intocada no litoral do Paraná

O destino ainda conta com pouca estrutura turística (algumas opções de hospedagem em pousadas simples e restaurantes de serviço improvisado e com pouca variedade no cardápio). E talvez esta seja a melhor notícia para quem visita a ilha.

No cardápio de passeios estão caminhadas por praias desertas (que, mesmo em feriados prolongados, conseguem manter seu lado mais selvagem), aluguel de bicicletas para deslocamentos maiores, trilhas na Mata Atlântica, visita a comunidades que cultivam ostras e servem o molusco assado em fogões rústicos, praias de água doce formadas pelo rio local e avistamento da revoada dos raros papagaios-da-cara-roxa que habitam a Ilha dos Pinheiros.

Como chegar 

Veículos são proibidos na ilha, de modo que o único acesso é por vias marítimas. Os barcos saem de Paranaguá as segundas, quartas e sextas, às 14h, no mesmo ponto de onde partem as balsas para a vizinha Ilha do Mel.

Barra da Lagoa, encontro do mar com o rio, na ilha de Superagui

Barra da Lagoa, encontro do mar com o rio, na ilha de Superagui

Porém algumas pousadas da ilha incluem nos valores das diárias um traslado privado para hóspedes (o que pode ser o melhor investimento da viagem, uma vez que os barcos costumam sair cheios na alta temporada e as travessias são mais demoradas).

A viagem pode durar de uma a três horas, de acordo com a maré e com o tipo de embarcação.

Onde ficar

Pousada Sobre as Ondas
www.pousadasobreasondas.com

Pousada Superagui
www.pousadasuperagui.com.br

Pousada Crepúsculo
Tel.: (41) 3482-7135